Páginas

Você não precisa ser celebridade para servir a Deus


Rev. Andrei Barros
Vivemos num tempo em que todos querem brilhar, ter destaque, ser reconhecidos. Pouca gente se contenta em ser coadjuvante, discreto, ou estar em segundo lugar. Ninguém quer ser anônimo.


Mas o que seria do nosso mundo sem essa massa de anônimos? Não sabemos os nomes deles, não há destaque nenhum, mas eles são essa grande força, esse exército invisível, e sem eles, praticamente toda a sociedade que temos hoje não seria possível.

Pense em um filme que gosta. Existe o ator principal, o diretor que coordenou as filmagens. Eles recebem todo o destaque midiático. Porém, da próxima vez que assistir a um filme, dedique tempo para ver os letreiros finais e constate a equipe de centenas de profissionais das mais variadas áreas que tornou tudo aquilo possível.

Imagine um violinista consagrado executando uma peça musical. Há por trás do trabalho dele uma equipe de profissionais altamente qualificados que estudaram anos a fio para pertencerem a uma determinada orquestra. Sem esta orquestra, o trabalho do nosso solista seria muito prejudicado.

E nos hospitais? Sempre pensamos nos médicos, mas e os outros profissionais de saúde que auxiliam em diversas áreas? Sem eles os hospitais seriam o caos.

Na Bíblia temos também muitos anônimos. Que seriam dos reis de Israel se não tivesse um povo servindo e pagando impostos? E uma expressão que usamos muito, “povo de Israel” – quantas vidas e histórias de gente crente e piedosa, mas que ficaram no anonimato?

Lembre-se do milagre da multiplicação dos pães e peixes (João 6.8-11). Quem seria o rapaz que forneceu os pães e peixes? Segundo o Rev. Galdino Moreira: 
“era um rapazinho do povo que ainda tinha uns restos de sua merenda pobre – cinco pães de cevada (o mais pobre pão da época e que só gente muito necessitava é que usava) e dois peixinhos defumados e salgados, também material do mais barato no mercado. Ele poderia ser um empregado de alguém no deserto, um vendedor de rua... ...No reino de Deus um pobre rapaz de boa vontade pode prestar mais serviços do que milhares daqueles que não tem previdência nem [discernimento] das ocasiões”.
Há pessoas que só se envolvem em causas que trazem promoção e fama. Mas você não precisa ser celebridade para então servir a Deus. Afinal, ninguém consegue ser todas as notas, todas as cores ou todas as estações. Sempre dependeremos uns dos outros.

Para as outras pessoas você pode ser anônimo. Mas para Deus, não o é. Continue perseverante no seu ministério, não procurando a glória ou promoção pessoal. Deus vai reconhecer e lhe recompensar. 

Afinal, Ele não está preocupado se o seu nome é importante ou a família da qual você veio é a mais respeitada da cidade. Os nomes passam e são esquecidos. 

Contudo, o caráter fica para sempre. E então, mesmo que as pessoas não saibam o seu nome, ele estará no Livro da Vida. Neste livro os nomes jamais se apagam.
--------------------------------------------------
Andrei de Almeida Barros é pastor da Igreja Presbiteriana do Brasil. Em 1998 trabalhou como missionário em Portugal. Formou-se em teologia pelo Seminário Presbiteriano do Sul em 2003 e ordenado pastor em 2004. Atualmente cursa Licenciatura em História. É fundador e editor do site www.semeandovida.org

Contar os dias


Rev. Danilo Campos

Ensina-nos a contar os nossos dias, para que alcancemos coração sábio
Salmos 90:12 e Lucas 10.38-42

Há algum tempo atrás foi veiculado um comercial na televisão em que um rapaz mostrava seu álbum de recordações. Começava com fotos mostrando quantos anos ele tinha até passar por uma série de páginas em branco, sem fotos, quando então chegava ao final, com uma fotografia dele recém saído de uma casa de reabilitação de drogados. Vários anos da vida daquele jovem passaram em branco por causa das drogas. 

É impressionante o mal que as pessoas podem fazer a si mesmas. É triste ver pessoas desperdiçando seu tempo de vida aqui na terra com aquilo que destrói ou simplesmente com coisas que não edificam. Há também pessoas que só começam a dar valor a sua própria vida depois de quase perdê-la.

Já o Salmista faz um ótimo pedido a Deus: “Ensina-nos a contar nossos dias para que alcancemos coração sábio”. Mas o que seria “contar os dias”? 

Contar os dias significa:
1 - Assentar-se aos pés do Senhor
Maria, sua irmã, ficou sentada aos pés do Senhor... - Lucas 10:39

Maria, irmã de Marta se assentou aos pés do Senhor. Aproveitava ela a oportunidade incomparável de estar aos pés de Cristo.

Contar nossos dias é assentar-se aos pés do Senhor. É aproveitar a oportunidade valiosa que temos de estar na presença de Deus, em comunhão com Ele. As Sagradas Escrituras nos exortam a buscar ao Senhor enquanto o podemos encontrar, a invoca-lo enquanto esta perto - Isaías 55.6

E ainda nos dá alguns parâmetros para o encontrarmos de fato, dizem elas: “Buscar-me-eis e me achareis quando me buscares de todo vosso coração - Jeremias 29. 13. Temos que busca-lo de todo coração, Deus nos quer por inteiro, não divididos.

Essa busca depende de arrependimento e santificação: quando estendeis as mãos, escondo de vós os olhos, sim quando multiplicai as vossas orações, não as ouço, porque as vossas mãos estão cheias de sangue. Lavai-vos, purificai-vos, tirai a maldade de vossos atos de diante dos meus olhos; cessai de fazer o mal - Isaías 1.15 e 16.

Quando nos achegamos ao Senhor, a primeira coisa que devemos fazer é confessar nossas falhas e cessar de fazer o mal, do contrário Deus esconderá de nós os Seus olhos.

E ainda a Bíblia nos diz: Buscai ao Senhor e a sua força; buscai a sua face continuamente - 1 Crônicas 16. 11.

Nossa busca do Senhor não se restringe ao domingo, ela deve ser continua, constante, a cada momento de nossa viver. Nós não nos alimentamos apenas uma vez por semana, se assim o fizéssemos seriamos pessoas de saúde muito fraca. Da mesma forma se nós buscarmos ao Senhor e a Sua força apenas uma vez por semana seremos pessoas fracas, com uma tênue fé e uma saúde espiritual debilitada.

Contar nossos dias é vencer o desafio de estar continuamente aos pés do Senhor.

Contar os dias significa:
2 - Ouvir os ensinamentos do Senhor
...ouvindo-lhe a palavra - Lucas 10:39
Maria ouvia os ensinamentos do Senhor. Ela estava disposta a aprender, atenta a cada palavra que Ele pronunciava. Em 2 Timóteo 3. 16 e 17 encontramos a seguinte verdade: Toda a escritura é inspirada por Deus e útil para o ensino, para repreensão, para correção, para a educação na justiça, afim de que o homem de Deus seja perfeitamente habilitado para toda boa obra.

Ou seja, temos na Bíblia um manual perfeito no qual encontramos os ensinamentos do Senhor. Contudo, é necessário que tenhamos a mesma disposição para aprender mais e mais de Deus, quer seja numa leitura diária ou através da explanação de um de seus servos fundamentados na mesma.

Certa vez um menino questionou sua mãe sobre a necessidade de se ler a Bíblia. Disse ela então: - Se você ler a Bíblia você vai parar de fazer muitas coisas erradas que você costuma praticar. Baseado nesta idéia, o menino resolveu ler a Bíblia toda e ao fim da leitura concluiu: - de fato eu já não sou a mesma pessoa. 

Jesus disse: Não provém o vosso erro de não conhecerdes as Escrituras, nem o poder de Deus? - Mateus 22.29

Então como proceder retamente? O salmista nos responde afirmando: Guardo no coração as Tuas palavras, para não pecar contra Ti - Salmos 119.11.

Aprender do Senhor também deve ser algo contínuo. Nós esquecemos facilmente das coisas, precisamos estar constantemente em contato com a palavra de Deus, de outra forma, como a guardaremos em nosso coração?

Contar nossos dias é ouvir os ensinamentos do Senhor.
Contar os dias significa:
3 - Escolher a boa parte
Marta agitava-se de um lado para outro, ocupada em muitos serviços. Então, se aproximou de Jesus e disse: Senhor, não te importas de que minha irmã tenha deixado que eu fique a servir sozinha? Ordena-lhe, pois, que venha ajudar-me. Respondeu-lhe o Senhor: Marta! Marta! Andas inquieta e te preocupas com muitas coisas. Entretanto, pouco é necessário ou mesmo uma só coisa; Maria, pois, escolheu a boa parte, e esta não lhe será tirada - Lucas 10:40-42
Maria possuía um censo de valores superior ao de Marta. Para Marta o mais importante naquele momento era realizar os seus muitos serviços. Em face disso agitava-se de um lado para o outro, preocupada com os mesmos. Mas Maria escolheu a boa parte e que essa não lhe seria tirada. 

Qual tem sido a nossa escala de prioridades? Temos priorizado nossos afazeres seculares, tarefas domésticas ou até lazeres ao invés de priorizarmos a comunhão e ensinamento do Senhor? Se damos maior destaque a outras coisas que não a Deus, estamos fadados ao fracasso.

Como Marta, às vezes nos mostramos inquietos com muitas coisas, sendo que uma coisa apenas é que carecemos: voltar o nosso coração para o Senhor e aprender os seus ensinamentos.

Jesus nos fala em Mateus 6.31 a 33: ...não vos inquieteis dizendo: Que comeremos? Que beberemos? Ou: Com que nos vestiremos? Porque os gentios é que procuram todas estas coisas; pois vosso Pai Celeste sabe que necessitais de todas elas; buscai pois, em primeiro lugar, seu reino e a sua justiça, e todas estas coisas vos serão acrescentadas.

Se ocuparmos nossa mente somente com os cuidados desta vida, a palavra de Deus torna-se infrutífera em nós. Em Mateus 13.22 encontramos a afirmação de que: ... os cuidados deste mundo e a sedução das riquezas sufocam a palavra, e ela fica infrutífera.

Qual tem sido a nossa opção? A de Marta ou a de Maria? Precisamos escolher a boa parte, assim estaremos contando os nossos dias e alcançaremos coração sábio.

Conclusão
Havia um homem que enquanto vivo desejava uma porção de coisas aqui na terra, eram muitos os seus anseios. Já pertencia a uma igreja, contudo não tinha uma comunhão constante com o Senhor. Um dia ele veio a falecer e chegou ao céu. Lá podia ver um anjo perto de um monte de caixas embrulhadas para presente, todas bem adornadas.

Curioso, dirigiu-se ao anjo e perguntou:
- O que são estas caixas?

Respondeu-lhe o anjo:
- Essas são bênçãos que deveriam ser entregues a você na terra, mas pelo fato de você não ter buscado a Deus em oração e colocado os seus anseios diante dele, elas não foram entregues; permaneceram aqui mesmo, todas empilhadas.

Queremos bênçãos? Queremos um coração sábio? Queremos contar nossos dias, aproveitá-los naquilo que edifica e salta para a vida eterna? Então é necessário assentar-se aos pés do Senhor, ouvir seus ensinamentos, escolher a boa parte.
Que Deus nos ajude a vencer estes desafios 

--------------------------------------------------
Danilo Cassemiro de Campos é pastor da Igreja Presbiteriana do Brasil. Formado em Teologia pelo Seminário Presbiteriano do Sul em 2010. Ordenado em 2011. Bacharel em Design (Projeto do Produto) pela Faculdade Asseta de Tatuí (2008), além de Técnico em Processamento de Dados e Hardware (1998 e 2002). É fundador e editor do site www.maravilhosagraca.org

As marcas do verdadeiro cristão


Rev. Josimar Rocha

...Em Antioquia, os discípulos foram pela primeira vez chamados cristãos
Atos 11.26

É muito comum chamarmos alguém pelo seu apelido ao invés do nome real. Algo parecido aconteceu com Barnabé, Saulo e a igreja de Antioquia. Durante um ano estes homens de Deus se reuniram com a igreja e ensinavam a muitos. Foi em meio a está busca de pessoas que os discípulos foram pela primeira vez chamados de cristãos. 

Mas o que significa ser chamado de cristão? Melhor ainda, quais são as marcas do verdadeiro cristão?


O verdadeiro cristão é nascido de novo
O termo “cristão” de acordo com o dicionário significa "aquele que professa a religião de Cristo", "que professa o cristianismo ou lhe é relativo". É um termo associado ao exercício da religiosidade. Muitas pessoas se enquadram nesse aspecto nos dias de hoje. 

Todavia, ser um cristão não é apenas ser simpatizante do cristianismo ou ser alguém de hábitos religiosos. É necessário nascer de novo! É isso que Jesus coloca como requisito a Nicodemos para que ele pudesse ver o Reino dos Céus (João 3.1-6)

O processo de "nascer de novo" ocorre quando Deus nos transforma em seus seguidores, realizando uma obra completa em nossas vidas. “E assim se alguém está em Cristo é nova criatura as coisas velhas já passaram; eis que tudo se fez novo.” - 2 Coríntios 5.17. 

O Novo Nascimento é uma obra exclusiva de Deus. Ele a realiza mediante a atuação poderosa do Espírito Santo que nos convence de todo pecado, e nós, em contrapartida, nos rendemos a este maravilhoso amor. Quem sabe, hoje você precisa voltar ao primeiro amor? Ou ainda, tenha que nascer de novo?

O verdadeiro cristão é um seguidor de Cristo
Jesus diz: “as minhas ovelhas ouvem a minha voz; eu as conheço, elas me seguem” - João 10.27. Essa declaração do Senhor contém três características da ovelha, que podem ser atribuídas ao verdadeiro discípulo que é um seguidor de Cristo:

a) "ouvem a minha voz" - ouvimos a voz de Cristo através da Palavra quando buscamos nas escrituras conhecer melhor a sua vontade .

b) "Eu as conheço" - Jesus sabe quem são os seus seguidores, os seus verdadeiros discípulos. Não é uma vida de aparência, afinal é possível enganar muita gente, mas não a Deus. Por essa razão é preciso ser sincero e reconhecer na vida os erros e pecados. 

c) “Elas me seguem” - Há muitos que se dizem cristãos, mas vivem uma vida de pecado em desobediência frontal à Palavra de Deus. A Bíblia diz que “aquele que afirma que permanece nele, deve andar como ele andou” - 1 João 2.6. Seguir a Cristo implica em conhecer a sua vontade, obedecê-la incondicionalmente e imitá-lo em suas atitudes. 

Examine a sua vida. Você está obedecendo incondicionalmente a Palavra de Deus? Está vivendo uma vida que agrada a Deus?

O Cristão verdadeiro tem Jesus como Senhor
Jesus não é apenas o nosso Salvador. Ele precisa ser o Senhor absoluto de nossa vida, aquele que tem toda a autoridade, o dono do nosso coração. 

Jesus é o Senhor porque Ele pagou o preço por nós quando morreu na cruz por causa dos nossos pecados. Devemos servi-lo sem reservas! 

Você tem obedecido incondicionalmente ao Senhor Jesus?

Para pensar
“As decisões que você tomar hoje determinarão as historias que você contará amanhã” - Craig Groeschel

-----------------------------------------
Josimar Gabriel da Rocha é pastor da Igreja Presbiteriana do Brasil. Formou-se Bacharel em Teologia pelo Seminário Presbiteriano do Sul em 1993 Foi ordenado pastor em 1995. Trabalhou como missionário no Rio Grande do Sul como plantador da Igreja de Alegrete, RS.

Mulheres submissas, mas decididas!

Miss. Madalena Gomes

E, estando ele em Betânia assentado à mesa, em casa de Simão, o leproso, veio uma mulher que trazia um vaso de alabastro, com unguento de nardo puro, de muito preço e, quebrando o vaso, lho derramou sobre a cabeça - Marcos 14:3-8 (1)

Fico imaginando esta cena. 

Era dia de festa, e numa festa, temos muita alegria, risadas, música, estórias sendo contadas e claro, não pode faltar comida... muita comida!

O texto nos diz que a festa era na casa de Simão, designado, o leproso. Diz-nos ainda o texto que Simão havia sido curado de sua lepra e por certo estava sendo restituído ao convivo de sua casa, de sua família e amigos após quem sabe, vários anos de isolamento da sociedade, escondido em cavernas.

Podemos imaginar a grande celebração e mesmo a curiosidade de muitos que estavam ali para certificarem-se do milagre ocorrido. E lá, participando da grande festa, testificando a cura e a restauração de Simão, estavam Jesus e seus discípulos – todos reclinados à mesa, numa alegria contagiante, esperando pela comida!

Do outro lado da casa, quem sabe numa cozinha improvisada no quintal, estavam as mulheres, ocupadas com todo o trabalho de prepararem comida para todos. Umas iam com seus baldes ao poço buscar água, outras buscavam lenha para alimentar o fogo e outras ainda se ocupavam das grandes panelas.

Embora esta cena tenha se passado há mais de dois mil anos, não é diferente do que vejo no dia a dia das famílias africanas, e porque não dizer, também em nossa cultura. Ainda hoje é exatamente assim. As mulheres trabalham pesadamente para prepararem a comida, enquanto os homens, reclinados à mesa, esperam para serem servidos.

E não diferente daquele tempo, também hoje, deparo-me com a realidade de ver as mulheres servindo... servindo seus maridos, suas famílias, suas comunidades e mais que tudo servindo ao Senhor. 

Seja numa cultura um pouco menos conservadora como a nossa, onde nós mulheres já temos encontrado um espaço um pouco maior na sociedade, ou em outras culturas, onde ainda há um longo caminho a ser trilhado para que a mulher seja considerada até mesmo como um ser humano, portanto digna de respeito e apreço, ver a alegria do coração feminino no submisso serviço que prestam à sociedade e ao Reino de Deus deveria ser motivo de louvor. 

Como aquela mulher em Betânia que não deixou que o peso do julgamento e da condenação de um mundo dominado por homens a impedisse de primeiro, vencer a barreira cultural de entrar naquela sala e se achegar tão perto do Senhor Jesus ao ponto de poder tocá-lo; e, segundo, de sozinha, tomar a decisão de usar a sua herança como bem entendesse... como nos diz o texto, derramando tudo sobre a cabeça de Jesus – um desperdício, segundo a opinião de alguns presentes (v 4-5).

Eu continuo imaginando aquela cena, agora pensando em Maria. 

Penso em seu coração amedrontado ao ouvir as palavras condenadoras dos homens naquela sala, e porque não dizer, até mesmo de algumas mulheres, que tão acostumadas estão com o seu lugar na “cozinha” nem sequer ousam aceitar que outras mulheres possam tentar sair dali. 

Penso também em sua atitude ousada de agir segundo a sua fé, seguindo o seu coração, sem se importar com o status quo da sociedade em que vivia. Penso em sua alegria em ouvir as palavras louváveis de Jesus sobre sua atitude: “...ela fez-me boa obra... Esta fez o que podia; antencipou-se a ungir o meu corpo para a sepultura”(v 6b,8). 

E como o próprio Jesus declarou, ainda hoje em todas as partes do mundo onde o Evangelho é pregado, a sua ousada atitude é e será sempre lembrada e contada (v 9).

Não há dúvida de que esta Maria está entre as tantas mulheres que através dos tempos, tem aprendido que a forma de submissão imposta por nossas culturas contaminadas pelo pecado, não nos impede de sermos ousadas em buscarmos nosso lugar no serviço ao Senhor, seja no lar, na igreja local ou no campo missionário em qualquer lugar do mundo.

Ao meditar na atitude ousadamente extravagante de Maria para demonstrar seu amor ao Senhor Jesus, e ao pensar em meu próprio serviço e nas muitas mulheres que tenho tido o privilégio de conhecer nas igrejas que visito, nas conferências de treinamento na África; sinto uma imensa alegria pela minha própria ousadia em ter aceitado o chamado de meu Mestre para servi-lo onde estou e no trabalho que Ele me chamou para fazer em detrimento das dificuldades, e ouso dizer, pelas desigualdades encontradas pelo caminho.

Hoje ainda, a atitude de Maria, continua abrindo o caminho para nós mulheres, convidando-nos a decididamente ultrapassarmos quaisquer barreiras que nos tentem impedir de chegarmos mais perto do Senhor para assim, servirmos à Ele e ao Seu Reino!

Eu quero ser ainda mais, mulher decidida e ousada em meu chamado e serviço ao Senhor.

E você?

--------------------------------------------------
Madalena Gomes é membro da Igreja Presbiteriana do Caminho em Londrina, formada em Teologia com ênfase em missões pelo ISBL Faculdade de Teologia de Londrina e em Letras pela Universidade Estadual de Londrina (UEL). É missionária desde 1998, servindo pastores e líderes dos países de língua portuguesa na África através daCRM Empowering Leaders. Madalena mora em Pretória, África do Sul. (clique para entrar em contato)